segunda-feira, 5 de junho de 2017

Bombeiro adventista conta seu testemunho, lutas e vitórias em Cristo!

Sou Sd Facchini, pertencente ao Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo desde 2015.
Em meados do ano passado (2016), fui transferido para o Posto de Bombeiros que fica 100km da cidade onde moro, onde passei por uma situação nunca vivida antes. Pois bem.
Ao me apresentar nesta unidade para iniciar minhas atividades, logo fiz saber ao comandante da prontidão, sobre minhas convicções religiosas. Disse que eu era adventista do sétimo dia, de imediato, fui questionado sobre o sábado, pois trabalhava em regime de prontidão (24x48), e alguns serviços ia coincidir com as sagradas horas do Sábado. Fui firme e fiel ao responde-lo. Disse que o sábado é um dia diferente pra mim,mas posso fazer o bem, assim com Jesus fazia, afirmei a ele que não faria nada que não fosse o atendimento ao meu próximo, afirmei que não realizaria limpeza de quartel nesse dia, que não participaria de instruções, atividade extras que não seja o resgate necessitado, contudo, propus alternativas quanto a limpeza do quartel, que era realizada sempre aos sábados- era a faxina geral-, disse que poderia faze-la ao por do sol. Inicialmente ele concordou, parecia sem novidades,eu já tinha passado por isso antes. No primeiro sábado que estava de prontidão, logo me isolei dos demais, e dediquei as leituras e estudos da bíblia. Ao sair a tarde para atender uma ocorrência de incêndio, fui questionado por um Sgt o porquê eu não estava fazendo a limpeza e estava afastado dos demais - achei estranho, pois achava que ele já estava sabendo sobre minhas particularidades - Eu expliquei a ele o por quê. Logo começou a me fazer as perguntas, que todos os outros fazem em relação a minha crença, perguntas de praxe, e se no sábado acontecer isso... e se acontecer aquilo...
me disse também que ele tinha um amigo adventista que fazia as atividades normais aos sábados - infelizmente um mau testemunho - mas sempre respondia com toda calma e paciência. Ao por do sol fiz a faxina, deixei tudo limpo, Na manhã do domingo ao acordar, fui checar a limpeza e percebi que estava estranha, não sei o que aconteceu. Sgt pediu para eu limpar novamente, já tinha acabado meu turno. Fiquei limpando a cozinha novamente. As coisas começaram a mudar, no serviço seguinte, o comandante da prontidão chamou minha atenção em relação a faxina, mesmo eu fazendo-a duas vezes, e deixando tudo limpo. A partir deste momento tudo começou a ficar difícil, comecei a ser perseguido em tudo, não somente por causa do sábado, também ao me alimentar, ao conversar, ao me afastar do grupo em conversas inapropriadas, principalmente a um Cristão. Eu era diferente dos demais, isso o incomodava, continuei fiel ao meu Deus em tudo, e me aproximei ainda mais Dele, eu precisava muito do Senhor, estava passando por um situação ruim, Este comandante proferia insultos contra mim, me ofendia diante dos demais, me importunava em tudo, não importava o que fazia, sempre me ameaçava em me comunicar, e eu sempre corria o risco de ficar preso. Contudo comecei a ensinar aos outros sobre Deus. Durante as noites que eu estava de serviço, estudava e os ensinava sobre as verdades bíblicas, Todos os outros perceberam o que ocorria comigo, era explicito isso.  Chegou o momento que não consegui mais suportar, resolvi pedir baixa da corporação. Fiz a solicitação e a entreguei ao comandante do Posto, na época um Tenente, de pronto este tenente chamou-me para conversar sobre o assunto. Expliquei a ele também, sobre minha fé, falei sobre as sagradas horas do sábado, não expus o meu antigo comandante de prontidão, disse apenas que não dava mais pra mim, entretanto já era sabido a este Tenente o que acontecera nos meses que passei neste quartel. Ele sugeriu de eu trabalhar em outro lugar, ou até em uma serviço interno, que não necessita trabalhar aos sábados, todavia eu já estava convicto de minha decisão, não queria correr o risco de passar por aquilo novamente. Ele "não aceitou" meu pedido de baixa até eu pensar antes e lhe dar uma resposta, Liguei para minha esposa, decidimos então aceitar o convite e, trabalhar na administração do Grupamento, seria uma oportunidade, sua localização fica a 150km da cidade onde moro, eu teria que ficar durante a semana por la e, só voltaria para casa aos finais de semana. Bom, não custava tentar. Ao chegar no Grupamento para trabalhar, tive uma surpresa. Percebi que todos já tinham conhecimento de minha situação, inclusive o Coronel comandante do grupamento, o qual me recebeu muito bem. Não é algo comum alguém pedir baixa da corporação, ainda mais por causa de religião, está ai a verdadeira fé, que Deus está acima de tudo. A verdadeira palavra de Deus, principalmente seu sagrado sábado, pode ser conhecido em todo o grupamento através de meu testemunho. Nunca imaginava que isso poderia acontecer comigo. Sou grato a Deus por tudo o que ele fez e tem feito em minha vida. Ele me deu esta oportunidade, a oportunidade de ser fiel a Ele e testemunhar em seu Seu favor. Que eu e todos nós continuemos permitindo que ele nos use para a pregação da verdade. Hoje trabalho em uma cidade tranquila e pacata no interior de São Paulo, optei por vir trabalhar aqui pela comodidade, estou todos os sábado a igreja, embora posso testemunhar a verdade aos meu colegas de trabalho. Sei que breve terei novas provações, mas isso só fortalece nossa fé. Sei que existe um Deus que nos ama,e jamais nos deixará sozinho diante das aflições. Breve Ele irá voltar e nos buscar. 
Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33 - Palavras de Jesus.

Sd Facchini

5 comentários:

  1. Boa tarde , amigo estou preste a ir pra um curso de formação de soldado , sou adventista e tenho o sonho de ser bombeiro , como Vc conseguiu guardar o sábado durante o curso ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. A prova de fé e demonstrada quando nos vimos sem saída, no fundo do poço sem alguém para ajudar. Deus, na sua infinita sabedoria e paciência, nos fornece a saída: a oração e a busca constante por Ele.

    ResponderExcluir

Se necessitar contato direto deixe e-mail para retorno. Obrigado pela participação.